Pesquise no Meu Blog

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Qual a Importância do Toque “Vasi”, na Música do Candomblé de Ketu?

Recentemente, conversando com o irmão Carlos de Aracajú, me dei conta da fundamental importância do “Vasi” na estrutura musical dos toques do Candomblé da tradição Ketu-Nago, razão pela qual, escolhi esse tema para abordar aqui no Blog.

Vejamos; no tradicional Candomblé de Ketu, há mais de 50 toques específicos de Hun, no entanto, a base (Hunpi e Hunlé) da maioria, essencialmente é o “Vasi”. Exemplifico:


ALUJA: No Hun são realizadas as variações com as mãos, mas no Hunpi, Hunle e Agogo, o toque executado é o Vasi (com um tempo mais rápido).

KITIPO: Com variações distintas no Hun, mas a base é Vasi.

IZO: A base é Vasi, com variações distintas próximas à Hamunha no Hun.

LAGUNLO: A base é o Vasi.

ADEREJA: Com variações distintas no Hun do Lagunlo, no entanto, a base é Vasi.

AJAGUN: Distinto do Lagunlo no Hun, mas a base é Vasi.

Posso ainda, mencionar toques de Iroko, Osoosi, Nana, Omolu, Osala que embora com variações muito distintas no Hun, a base dos mesmos (Hunpi e Hunlé) é o Vasi.

Isso pode ser claramente notado em alguns discos do grande Mestre dos Atabaques Vadinho, nos quais, quase todos os toques de Hunpi, Hunlé, mantém a mesma base, qual seja, o “Vasi”. No disco “Candomblé”, por exemplo, temos as seguintes faixas:

ESU: Sonso Obe, Sonso Obe – Base “Vasi”;
OGUN: De Awa De Lode – Base “Vasi”;
OSOOSI: Ode Komorode – “Agere”;
OSANYIN: Agemare Agemare – Base “Vasi”;
OMOLU: Talagbe Okorin – Base “Vasi”;
OSUMARE: Lele Mare Araka – Base “Vasi”;
NANA: Edi Mosokun Omorode – Base “Awo”;
OSUN: Maboiya Iya Moya – Base “Vasi”;
OBA: Oba Eleko Ajaosi – Base “Vasi”;
YEWA: Yewa Yewa Majo – Base “Vasi”;
YANSAN: Oya Tete Oloya – Base “Vasi”;
YEMOJA: Awoyo Baoba – Base “Vasi”;
SANGO: Oba Sarewa – Base “Vasi”;
OSALA: E Aso Funfun Goya – Base “Vasi
FINAL: Hamunya

Conforme exposto acima, das 15 faixas do aludido disco, 12 (80%) tem em sua base o toque Vasi. Isso mostra-nos, de forma latente, a grande importância desse toque na estrutura musical de forma geral do Candomblé da Tradição Ketu, o mesmo pode ser replicado em outros discos do mestre dos atabaques.

Dessa forma, é de fundamental importância que o interessado em aprender a arte dos atabaques, estude com perseverança esse toque. É essencial, ainda, que o estudante treine o Vasi em velocidades distintas, alternando de forma gradual. Isso será importante, haja vista que, embora a estrutura do “Vasi”, para diversas bases de Hun seja a mesma, o toque dominante (Hun), conduz o Hunpi e o Hunlé.

Nesse aspecto, é importante salutar que, o tempo musical do Vasi, de um Alujá, por exemplo, é totalmente distinto do Vasi (base) do Kitipo ou do Ajagun, sendo desta forma, necessário que o “tocador”, tenha esse “know how” para não cometer falhas.

É importante, que todos tenham a consciência da importância de se conhecer com acuro os toques do Agogo, Hunpi e Hunlé, para somente então, aventurar-se ao Hun. Hoje, vejo muitas pessoas desejando aprender tocar Hun, no entanto, com total desconhecimento de Agogo, Hunpi e Hunlé.

Mas afinal, que toque é Vasi? Abaixo, posto um pequeno vídeo com o grande mestre “GAMO DA PAZ”, em que o mesmo, ensina a base do Vasi no Agogo e no Hunpi. Espero que aproveitem, estudem e toquem! Em breve, um novo post, sobre mais toques do Candomblé.

Sem mais,
Opotun Vinicius


6 comentários:

  1. Cara, estou sem palavras! poxa, q bom q das nossas boas e proveitosas conversas, saiu uma idéia tão bacana para uma postagem de suma importância para a compreensão sobre os diversos toques do candomblé tradicional de ketu e em especial, o Vasi. e valeu mesmo por ter citado o meu nome. cara, fiquei sinceramente regojizado com sua citação e espero estar à altura para poder extrair ao máximo tudo aquilo o q eu puder aprender nessa caminhada. dignificarei ao máximo tudo isso. e mais uma vez, para não perder o costume, parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. Não há o que agradecer em eu ter citado o seu nome, é somente a verdade! Agora que nos conhecemos, não tenho dúvidas que teremos uma longa e valorosa amizade, vejo o seu esforço à busca de conhecer e aprender aquilo que tanto gosta, a cultura dos òrìsàs e me ligue, pois não esqueci que lhe devo uma história.

    Um grande abraço e estude bem hein! abs. Vinicius

    ResponderExcluir
  3. Vinícius, seus artigos são realmente maravilhosos,Ajudam sobremaneira àqueles que não comungaram da compahia e aprendizado dos grandes mestres.Parabens! Só é uma pena os vídeos que ilustravam seus textos terem sido removidos.

    Marcos Tenca. marcostenca@hotmail.com

    ResponderExcluir
  4. Marcos, bom dia!

    Fico muito satisfeito em saber que de alguma forma, os textos que escrevo contribuem para a divulgação e preservação dessa rica cultura musical do Candomblé. Muito obrigado pelas palavras. Em relação aos vídeos, houve um problema com a minha conta no youtube, mas no início do ano vindouro, devo inseri-los novamente.

    Abs.,
    Opotun Vinicius

    ResponderExcluir
  5. Ogan Vinicius, sua benção!
    O link dos vídeos infelizmente continua quebrado.
    Conheci o blog ontem e estou impressionado com tanto conteúdo bem escrito!
    Um abraço!
    Dofono t'Osun

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Victor,

      Muito obrigado pelas palavras e participação aqui, em verdade, ocorreu um problema com o youtube,e ainda não achei o cd onde está o vídeos, mas vou procurar essa semana.

      Abs.,
      Vinicius

      Excluir