Pesquise no Meu Blog

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Desmistificando os Toques: Bravun, Sató e Savalú

Hoje vou falar um pouco, sobre três importantes toques da cultura Nago-Ketu, que são amplamente confundidos, seja nas variações rítmicas do Hun, seja nas variações de suas danças.

Os nomes desses toques variam entre casas, mas vou escrever e nomeá-los da forma que aprendi, ou seja: Bravun, Sató e Savalú. Esses, são três importantes toques usualmente executados que, por assim dizer “pegamos emprestados” da tradição Jeje, englobando-os em nossa cultura Nago-Ketu.

terça-feira, 7 de junho de 2011

As Èkèjí nas Comunidades Nàgó

Nesta oportunidade, não vou falar dos grandes nomes do atabaque ou dos importantes toques do Candomblé. Hoje, vou discorrer um pouco sobre uma figura que tanto respeito e de importância singular dentro das “Comunidades Nàgó, as Èkèjí (leia-se Ekede).

Vou escrever sobre esse tema (que em verdade não me pertence), pelo fato de algumas Èkèjí e mesmo Ogans, terem me pedido para elucidar minha opinião sobre o assunto, ainda que como Ogan.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Os Toques do Candomblé Nàgó Ketu

Amigos,

Retorno nesta postagem, para comentar desta feita, acerca dos toques de Candomblé. Ater-me-ei, somente àqueles executados nos ritos das chamadas “Comunidades Nago-Ketu”, incluindo desta forma alguns toques de origem Fongbe (Jeje), Ijesa e o Barra-Vento, muito provavelmente de origem Kongo-Angola.

Quero com essa pequena postagem, somente chamar atenção aos Ogans, para o grande número de toques que temos e, que, infelizmente, estão sendo esquecidos pela maioria.

Afirmo isso, pois sou procurado por Ogans para ministrar aulas e, quando os indago sobre seu maior interesse rítmico, em suma, a resposta concentra-se em poucos toques, geralmente a Hamunya (as sonhadas 17 passagens de Iroko), o Adahun (Toque com poder sobremaneira evocativo que, nós Nago, absorvemos dos Fongbe) e, mais recentemente, o toque de Nana, da cantiga “Toke Dajuwá”.