Pesquise no Meu Blog

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Pai Pércio, A História do Filho de Airá

Há pouco mais de um ano, escrevi um texto chamado “Pai Pércio, A História do Filho de Airá”, discorrendo sobre a morte do meu amado Babalòrìsà Pércio de Airá. À época, eu ainda não tinha Blog, publicando-o na minha página do Orkut, sendo o texto carinhosamente reproduzido, em sua íntegra, no jornal de Pai Flávio, A Gaxeta. Lendo novamente, resolvi aditar algumas passagens que tive com meu Sacerdote e, publicá-lo. Fato é que, sou um Omo Òrìsà muito feliz, por ter sido iniciado por um dos maiores Sacerdotes do Brasil e, sobretudo, por sempre ter tido por ele, um grande respeito. Respeito esse que sempre foi recíproco. Pouco antes do seu falecimento, em ocasião da Festa de Yewa da minha irmã Luciane, ele me disse: “É meu filho, você sempre prestou atenção em tudo que eu te disse, sempre foi muito atento, inteligente e, principalmente, sempre foi vodunsi, muito vodunsi. Quando eu recebi a sua carta, eu chorei. Chorei porque você contou a minha história, nada do que você escreveu é mentira, tudo verdade...”. Meu Pai Pércio, referia-se a uma carta que escrevi para ele, quando ele estava internado e que, contava boa parte da história transcrita quatro meses depois, quando do seu falecimento, inclusive o título “O Décimo Segundo Filho”. Abaixo, o texto.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Os Toques do Hunpi e HunLé São Todos Iguais?

É muito comum ouvirmos de grande parte dos Ogans, a seguinte máxima: “No Kétu, Hunpi e Hunlé são tocados da mesma forma”. Em suma, os mesmos Ogans completam dizendo: “No Angola que há diferença dos toques do Hunpi para o Hunlé, no Kétu não”. Há algum tempo estou querendo chamar atenção para essa importante e sutil diferença, que há entre o Hunpi e o Hunlé em muitos toques da tradição Kétu-Nàgó.

Em verdade, não podemos deixar de lado que, há casos, em que as frases musicais executadas no Hunpi e no Hunlé são exatamente as mesmas, como exemplo, cito o caso do Daró, Kitipo, Izo, Adahun, dentre outros. Entretanto, há toques em que a marcação é distinta, a depender do atabaque (Hunpi ou Hunlé). Nesse espaço mesmo, já comentei um desses casos, o Ijesa de Òsun, Òsàlá, Ògún, etc. Obviamente que não há verdade absoluta, há casas renomadas, de grande tradição musical dentro do Candomblé, em que as frases músicas, por exemplo, do Ijesa, são idênticas. Todavia, vou discorrer sobre aquilo que aprendi e que pratico.

segunda-feira, 4 de junho de 2012

AWO! UM TOQUE MINORADO POR MUITOS, MAS IMPORTANTE PARA OS ÒRÌSÀS

Primeiramente quero agradecer ao Roger Zanela, que conseguiu converter para videos, os links de exemplo constantes nesse artigo. Há alguns dias estou com essa postagem pronta, mas sem publicar por não conseguir converter meus arquivos de áudio em vídeo.


Retomando as postagens que deram origem a esse Blog, hoje resolvi abordar um toque que muitos acreditam ser bastante simples, para não dizer simplório, o que invariavelmente induz muitos Alagbés ao erro na aplicação de suas diversas e complexas variações. Assim sendo, creio que muitos Ogans irão surpreender-se com as diversas vertentes/aplicações do toque “Awo”, um dos mais usais do Candomblé e, na mesma proporção, um dos menos estudado.